quinta-feira, 7 de julho de 2011

QUASE ME MATA DE RIR

Estranho é ver hoje que a maioria das pessoas ainda procuram por uma alma gêmea. Por alguém completamente igual a elas. Isso é loucura!!! a pessoa já torna o amor uma coisa impossível, pois nem você é exatamente como você mesmo ontem e tão pouco será amanhã.

O amor é um sentimento que possui seu corpo, acelera seu coração, aguça seus sentidos e ocupa sua mente assim que houver descanso. Quem nunca se pegou sentido o perfume de alguém que está a Quilometros de distância? sua mente faz com que você viaje sem perceber. Quando viu, já tá em outro mundo.

Gostoso mesmo é quando um casal se completa. Quando duas bocas se encaixam perfeitamente formando um sabor único. Quando não é preciso uma só palavra para você entender aquela mente confusa e aquela alma dispersa. Você entende tudo com apenas um olhar ou às vezes nem isso.

A gente vai vendo com o passar do tempo que as pessoas, além de defeitos e qualidades, também possuem semelhanças e diferenças. As semelhanças são divertias, mas o que aproxima mesmo são as diferenças. Da forma de pensar ou de agir. Ah! gera brigas, discussões e lamentações, mas acaba te acrescentando bem mais que um simples entendimento chato e metódico. A partir dessa mistura acaba criando uma identidade única e analógica e é assim que aquela pessoa vira A pessoa.

"Os Opostos se atraem" também não faz sentido pra mim, porque se há essa adversidade toda, seria um porre ter que viver com alguém assim.  A gente tem que saber dosar mais essas coisas e vamos aprendendo isso de uma única forma: a tal da vivência.

Uma cara de sono ou um sussurro no ouvido é tudo o que você precisa agora. Mas não é qualquer cara e nem qualquer vóz. Não é a vóz igual a sua, não é  a vóz oposta a sua, é a vóz que está ali, pra você e só você pode chamar de sua. Quase me matam de rir quando me falam que eu deveria namorar com uma ou outra pessoa "porque nós dois somos iguais". Vejo aí que essa pessoa sabe tão bem da minha vida quanto entende de relacionamentos: nada. Porque ninguém precisa ser igual a você pra decifrar teus sonhos, pra realizá-los, pra descobrir teus gostos e (por que não?) achar estranhos.

E se vocês forem iguais, lembre-se daquela lei: repele. E se forem completamente diferentes? provavelmente se arranharão, diferente da (a)diversidade na medida, a única comunhão capaz de gerar o abraço perfeito, que faz o mundo girar em câmera lenta. 

Ninguém precisa estar por perto, ninguém precisa ver, você não precisa subir na montanha mais alta e dizer ao mundo quem você ama, porque se você ama mesmo, o mundo já é seu... Só assim você consegue uma equalização perfeita.

3 comentários:

  1. belo encaixamento do seu texto. a ideia ficou clara e eu aprendi depois de bater tanto a cabeça que o que vc disse é exatamente o q deve ser!

    ResponderExcluir
  2. Valeu Luks, eu tô aprendendo agora também...

    ResponderExcluir
  3. Muito bem incorporado seu texto nos tempos atuais. Amor é trofeuzinho. Mas é clichê falar de amor da forma que você discorreu. Essa "desconstrução" que você declarou, e falando de opostos... Sei o que é essa equalização de cor! E digo: vale tudo! Amor é mandar tudo pro inferno e namorar, namorar, namorar! Vale até gritar no alto-falante e sim, ser démodé.
    Ou: mais um copo quase quente pra pessoas um tanto frias. ;)

    ResponderExcluir

Não hesite em postar, eu gosto.