segunda-feira, 13 de agosto de 2012

SUPERWOMAN PLASTIC

Acorda todo dia, não é travesti.
Se monta em quatro horas, começa a existir.

Precisa estar perfeita / pra poder sair
Suas unhas estão feitas, procura o que vestir.

Cabelo impecável, corpo de manequim.
Não há sangue em suas veias. Cuidado, vai cair!

É a mulher de plástico
Perfeita e inexistente.
Não esqueça que uma hora
Ela encerra o expediente.


Se precisa de amor, de afeto ou de carinho.
A Superwoman Plastic te deixará sozinho.

Precisa se cuidar, ver os padrões e se encaixar.
Emagrececer e sem comer / se igualará a da TV.

Não trabalha nem estuda, uma amélia comum
É sempre o outro, nunca quis ser o um.

É a mulher de plástico
Perfeita e inexistente.
Não esqueça que uma hora
Ela encerra o expediente.


Nunca terá filhos, sogra ou marido,
Sempre será aquela rosa sem espinhos.

Não precisa de amor, de paz ou de carinho,
Só precisa de uma coisa: flashs no caminho.

É a mulher de plástico
Perfeita e inexistente.
Não esqueça que uma hora
Ela encerra o expediente.


Ela encerra o expediente.

Encerra o expediente...

Encerra o expediente...

Encerra...

2 comentários:

  1. Não precisa ser nenhum mega conhecedor para ver suas inspirações, mas, é preciso um pouco mais de atenção pra ver que ela pode se encaixar não só em uma pessoa específica mas em uma grande parcela da sociedade, sim, sei que é clichê envolver a sociedade mas não é porque é clichê que deixa de ser verdade. O tema da busca incessável da beleza ideal (inexistente nos dias de hoje) que muitos(as) procuram é um tema que particularmente me fisga de cara, principalmente por não conseguirem enxergar que não existe uma beleza padrão, bonito é o que faz bem aos olhos e isso é pessoal e intransferível. Bem, já deve estar explicito que gostei/amei a letra. Quando tiver a melodia me dá um toque ;)

    ResponderExcluir

Não hesite em postar, eu gosto.